Da mesa à vitrola

Uncategorized

A prática de afixar mídias a embalagens de cereais matinais, como hoje costuma ser feito com CDs ou DVDs, surgiu nos Estados Unidos nos anos 50. Filmes finíssimos de vinil gravados com faixas de áudio, chamados flexi-discs, começaram a ser laminados diretamente nas superfícies cartonadas de cartuchos. Bastava recortar os disquinhos das caixas e tocá-los em vitrolas. O recurso foi adotado pioneiramente pela General Mills, mas depois se difundiu entre outros fabricantes. No início, os discos traziam músicas infantis e narrações de contos. Depois, passaram a divulgar variados artistas e gêneros musicais. Até discursos políticos entraram na onda.
Veja mais exemplos de cartuchos com flexi-discs e ouça amostras: emb.bz/cdbox

 

Simone Bistaffa

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s