Toy: Isabeli Fontana é rosto do novo perfume de embalagem divertida da Moschino

Paulo Gomes Vieira

Com cliques de Steven Meisel, top brasileira apresenta o primeiro perfume da marca sob o comando de Jeremy Scott

Isabeli Fontana foi o rosto escolhido pela Moschino para apresenta seu novo nome na linha de perfumes, o Toy. Continuando seu posicionamento para a maison italiana, que vem trazendo um toque cada vez mais divertido, tendência entre as grifes, Jeremy Scott lança sua primeira fragrância à frente da direção criativa, com direito a embalagem em forma de ursinho de pelúcia.

Com cliques de Steven Meisel, a top brasileira, que já havia estrelado na marca antes mesmo da dinastia Scott, contrasta seu carão com o shape lúdico do perfume. A modelo usa pretinho básico e sexy ornado com os ursinhos, e de quebra carrega a cabeça de um deles na mão, mostrando que ao abrir o “brinquedo” é possível achar a fragrância.

Com t-shirt escrita “Isso não é um brinquedo da Moschino”, o teddy bear carrega perfume unissex floral e amadeirado, com notas de bergamota fresca, violeta, tons aromáticos de lavanda, zimbro e madeiras preciosas. O item é disponivel apenas no formato de 50ml.

Confira em nossa galeria o perfume que já virou item de desejo apenas pelo frasco e a campanha estrelada por Isabeli Fontana.

Isabeli Fontana na campanha do perfume Toy da Moschino

Revista Caras recebe embalagem especial da Sadia

Paulo Gomes Vieira

Assinantes das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro recebem hoje a revista Caras embalada como a linha de frios fatiados Soltíssimo da Sadia.
O projeto especial é assinado pela F/Nazca Saatchi & Saatchi e faz parte da campanha que lança a inédita tecnologia S-Fresh. Apresentada ao consumidor com o filme Fatiador, a inovação garante ao produto mais frescor e praticidade. As exclusivas embalagens “abre e fecha”, além de muito mais resistentes e seguras que as bandejas de isopor disponíveis no mercado, dispensam a manipulação no ponto de venda e a necessidade de armazenamento em outro recipiente. O produto é comercializado nas principais redes de supermercados do estado de SP e capital do RJ.

Substituir fita adesiva por cola em embalagens gera economia de até 90%

Paulo Gomes Vieira

A troca ainda beneficia o meio ambiente ao evitar o descarte de dezenas de toneladas de lixo plástico

A eterna busca da indústria nacional por redução de custos, aumento de produtividade e menor impacto ambiental ganhou um importante aliado. A Adecol, maior fabricante 100% nacional de adesivos industriais, desenvolveu soluções que geram ganhos expressivos nestas frentes com a substituição de fitas adesivas e filme plástico por cola no fechamento de caixas e paletização (montagem de conjuntos de caixas ou sacos sobre bases de madeira ou plástico, os paletes, facilitando seu transporte). No segundo caso, a cola é utilizada no lugar do filme stretch, custando 83% menos.

Atualmente, o uso de fitas adesivas de material plástico (normalmente de polietileno) é uma das práticas mais adotadas por diversos setores para lacrar embalagens de papelão. Além de caras, as fitas se tornam um resíduo de difícil reciclagem, agredindo o meio ambiente.  Elas podem ser trocadas por adesivos Hotmelt ou PVA (também conhecido como cola branca) da Adecol, com facilidade na aplicação e limpeza de equipamentos, eliminação de lixo plástico e importante economia de recursos.

Em um levantamento realizado pela empresa com valores médios de mercado, o Hotmelt da Adecol necessário para fechamento de 50 mil caixas médias (575 X 365 X 455) sai por R$ 1.000,00 contra R$ 4.000,00 para aquisição de fita adesiva, ganho de 75%. Já com o PVA fornecido pela empresa o custo é ainda menor, R$ 500,00 para as mesmas 50 mil caixas, numa redução de 88% sobre o custo da fita.

“Mesmo considerando o investimento inicial de adaptação da linha, com a instalação de sistema aplicador, o benefício financeiro do uso do adesivo se reflete ainda no primeiro ano após a mudança”, afirma o diretor comercial da Adecol, Alexandre Segundo. “Isto sem considerar o expressivo ganho ambiental, que isoladamente já poderia justificar a adoção desta tecnologia, e as facilidades de manuseio, manutenção e aplicação”.

PALETIZAÇÃO INTELIGENTE – A aplicação de cola no lugar do filme plástico stretch em sistemas de paletes apresenta benefícios adicionais. Por suas características únicas (alta resistência lateral e baixa resistência vertical), o adesivo permite que as caixas reunidas sobre a base sejam destacadas. Além disso, no caso do uso do adesivo, é possível retirar apenas parte das unidades, mantendo as demais seguramente afixadas, flexibilizando a logística. O benefício ambiental é ainda maior, uma vez que a cola se integra ao produto na hora da aplicação, praticamente zerando a geração de lixo.

Como no caso do fechamento de caixas, a Adecol oferece soluções para paletização com adesivos Hotmelt e PVA. Com o primeiro, o custo médio para fechar 50 mil paletes com 40 sacarias de 25kg cada é de R$ 41.250,00, contra a média de R$ 172.500,00 necessários para a aquisição de filme plástico, economia de 76%. Na simulação utilizando o PVA para 50 mil paletes com 44 caixas cada, o custo da cola é de R$ 8.844,00, enquanto o stretch sai por cerca de R$ 618.000, uma queda de 83% no custo.

Conama adota novas regras para embalagem de agrotóxicos

Paulo Gomes Vieira

O Conselho Nacional do Meio Ambiente aprovou, nesta quarta-feira (19/11), resolução alterando os critérios mínimos para o licenciamento ambiental de postos de coleta de embalagens de agrotóxicos.

A medida revisa resolução anterior que instituiu a logística reversa no setor, considerado atividade potencialmente poluidora e nociva à saúde dos trabalhadores.

As exigências da resolução anterior, que afetam os estabelecimentos comerciais e as indústrias, passam a vigorar também para a coleta mais criteriosa das embalagens vazias, ou contendo resíduos. O novo texto torna as exigências anteriores compatíveis com a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

O setor de embalagens de agrotóxicos foi um dos primeiros a adotar a logística reversa, por resolução Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente) há mais de dez anos, e vem obtendo bons resultados, de acordo com o monitoramento feito pelas autoridades ambientais.

Retorno de embalagens

A devolução da embalagem é obrigação do agricultores e vem sendo feita dentro das exigências em postos e centrais espalhados pelo país. As emendas à proposta de resolução foram acordadas sem grandes dificuldades e a aprovação pelo plenário, quase unânime.

Pela nova resolução, os estabelecimentos que já operam a logística reversa estão obrigados a requerer, junto aos órgãos ambientais licenciadores, a adequação às novas normas. Representantes do setor acreditam que não enfrentarão dificuldades para adequar sua rede.

Arcor moderniza embalagem do chiclete Big Big Ben 10

Paulo Gomes Vieira

Fabricante renova licença com a série de desenho animado e leva para o ponto de venda pacotes com figurinhas colecionáveis. Chicle em formato de ovinhos está de volta

A Arcor do Brasil moderniza a linha de chicletes Big Big com o tema Ben 10 e apresenta o tradicional sabor tutti frutti com novas versões: ácido, picante, gelado e efervescente com figurinhas colecionáveis. Com a renovação da licença com a série de desenho animado, a empresa também disponibiliza a opção Big Big Ben 10 Bola, em formato Stick com seis chicles sortidos nos sabores laranja, pêssego, cereja e tutti frutti.

A marca também aposta no retorno da versão Huevitos para o portfólio de Big Big. Com formato de ovinhos, o chiclete também vai contar com figurinhas colecionáveis com curiosidades no mundo animal, com linguagem mais moderna representada por emoticons, códigos e letras utilizados no mundo virtual pelas crianças.

​CBA B+G cria embalagem especial para comemoração dos 60 anos da Gomes da Costa

Paulo Gomes Vieira

Para celebrar seu 60º aniversário, a marca Gomes da Costa, empresa líder no segmento de pescados enlatados, está lançando uma linha premium, com edição limitada, de filés de pescados para comemorar a data. A criação das embalagens é da CBA B+G.
São três produtos: filés de sardinha, de atum e de salmão. Para cada um foi usada uma cor específica e sóbria, que ressalta a categoria superior desta linha comemorativa. Na imagem, todos aparecem em pratos, prontos para serem servidos, com conotação de praticidade e versatilidade desta linha.

“Para reforçar a ideia de celebração, destacamos a linha comemorativa dos 60 anos da Gomes da Costa sobre um selo, dando a chancela de tradição e qualidade para a marca”, explica o diretor de criação da CBA B+G, Rodrigo Costabeber.

Costabeber ainda destaca que a Gomes da Costa é reconhecida por sua tradição, inovação e sustentabilidade. “Com o selo de 60 anos, estamos certificando a qualidade característica da empresa em cada um de seus novos produtos”, diz ao acrescentar que as fotos feitas pelo Estudio Bê reforçam o apetite appeal nas embalagens com acabamento em hot stamping, que produz um efeito de sofisticação à nova linha.

Além das embalagens e do selo, a CBA B+G criou material para a equipe de vendas e painel para o estande da APAS.

Designer ‘reinventa’ caixa de ovos; modelo atual tem mais de 50 anos

Paulo Gomes Vieira

Criar uma embalagem segura para o transporte de ovos sempre foi um grande desafio para designers do mundo todo, já que não é fácil proteger um produto tão frágil.

A primeira caixa de ovos foi inventada há cem anos pelo canadense Joseph Coyle e os primeiros exemplares foram feitos à mão. Nos anos 1950, o designer britânico H.G. Bennett criou a caixa que vemos até hoje nos supermercados. Feita de papelão, espuma ou plástico, ela é sofisticada na forma como absorve o impacto, protegendo o produto. Mas de lá para cá pouca coisa mudou.

Reprodução/Stellenbosch Academy

Para participar de uma competição universitária de design, cuja proposta era ‘reinventar’ algo que não mudava há décadas, a estudante de design húngara Eva Valicsek encarou o desafio a criação de uma nova embalagem para ovos.

Aluna da Universidade da Hungria Ocidental, na cidade de Sopron, ela analisou as caixas tradicionais e detectou diversos problemas, o principal deles diz respeito ao tamanho padrão das caixas, que não se ajustam aos diversos tamanhos de ovos. Outro problema, segundo a estudante, é que no modelo atual os ovos ficam protegidos não só do impacto, mas também da visão do consumidor, que não consegue enxergar se algum ovo está quebrado sem abrir a caixa.

Reprodução/Stellenbosch Academy

O aspecto mais inovador  do design de Valicsek é justamente o fato de sua caixa ser aberta na parte de cima. Confeccionada com papelão e elástico, sua invenção já atraiu a atenção de empresas, que estariam interessadas em produzi-la e comercializá-la.

Feita de material reciclado, a caixa criada por Valicsek não precisa de nenhum tipo de cola, o que reduz seus custos de produção. O papelão é dobrado, com alguns buracos recortados. As dobras se ajustam a tamanhos diferentes de ovos e tudo fica preso pelo elástico. Segundo a estudante, sua caixa resiste às pressões laterais, e que mesmo sem possuir uma “tampa”, os ovos estão protegidos pela parte superior do papelão.

Reprodução/Stellenbosch Academy

Depois de criar um produto com design totalmente novo e eficiente, o desafio agora é substituir um modelo que reina absoluto há mais de meio século no mundo todo.

Design na indústria é tema de evento em Nova Friburgo, no RJ

Paulo Gomes Vieira

Interessados devem se inscrever e vagas são limitadas.
Palestras vão abordar comportamento, novas tecnologias e sustentabilidade.

Design como processo inovador que pode aumentar a competitividade dos produtos industriais. Esse é o principal tema do evento Rio Design Indústria, que o Senai Moda Design realiza em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio, na terça-feira (25), às 14h30. O evento, gratuito, trará ao interior do Rio palestras de designers e empresários e conta com apoio do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro (Simperj).
As palestras vão abordar questões como comportamento, novas tecnologias, sustentabilidade e processos de produção e apresentará casos de sucesso de indústrias do setor de plásticos. A abertura do evento será feita pela presidente da Representação Regional da Firjan no Centro-Norte Fluminense, Márcia Carestiato  Sancho, e pelo presidente do Simperj,  José da Rocha Pinto.
Entre os palestrantes, estará o designer e consultor Jaako Tammela, que desenvolveu trabalhos para a Whirlpool Latin America; o empresário Claudio Patrick, que já ganhou prêmios internacionais com suas tampas de embalagens; e o especialista do Senai, Rio Renato Cortez, que falará das vantagens da impressão 3D para a produção de protótipos.
Completam o time de palestrantes, Uno Meyer, da Quadi Utilidades Domésticas; Felipe Rangel, do Estúdio Baobá; e Rafael Provatti da Plastivida Instituto Socioambiental dos Plásticos.
Mais detalhes da programação e inscrições podem ser feitas através da internet. O evento acontecerá no Senai Espaço da Moda, que fica na Avenida Conselheiro Julius Arp, nº 85, no Centro de Nova Friburgo.

Fabricio Werdum aparece como destaque em embalagem do salgadinho Doritos no México

Paulo Gomes Vieira

Primeiro evento na Cidade do México ganha muita divulgação em todo país

Reprodução/Instagram

A aguardada estreia do Ultimate Fighting Championship no México, neste sábado, ganhou muita divulgação na Cidade do México e em todo o país asteca. Protagonista do evento, ao lado do neozelandês Mark Hunt, na luta principal da noite, valendo o cinturão interino dos pesos pesados, Fabricio Werdum apareceu em destaque na embalagem do tradicional salgadinho Doritos. O Vai Cavalo postou a imagem nas redes sociais, com o saquinho

Sorvetes Jundiá lançam sabor açaí com embalagem para food service

Paulo Gomes Vieira

O lançamento da Jundiá nas versões pote de dois litros e pote de sete litros para o food service (foto divulgação)

A Sorvetes Jundiá, especialista na produção de sorvetes artesanais há 35 anos, com sede na cidade de Jundiaí (SP), acaba de anunciar o lançamento da nova linha ‘Nosso Açaí’, feita à base de açaí e extrato de guaraná. Inédita no mercado, a nova linha está disponível nas versões picolé, pote de dois litros, pote de sete litros (indicado para o food service) e açaí com granola em copo de 500g.

O açaí é rico em carboidratos, possui grande quantidade de ferro, fibras, cálcio, proteínas e potássio, além de agentes antioxidantes, que auxiliam na prevenção de doenças e envelhecimento precoce.

Embalagem e propaganda de produtos destinados à alimentação animal têm nova regra

Paulo Gomes Vieira

Medida visa harmonizar questões de rotulagem que limitavam as empresas de informar detalhes específicos dos produtos

Produtores e consumidores devem ficar atentos às novas regras para embalagens, rotulagens e propaganda de produtos destinados à alimentação de animais de produção e de companhia.

A partir de agora, a definição dos alimentos coadjuvantes que deve constar nos produtos é a de que são compostos por ingredientes ou matérias-primas ou aditivos destinados exclusivamente à alimentação de animais de companhia com distúrbios fisiológicos ou metabólicos, capazes de atender integralmente as exigências nutricionais específicas, cuja formulação é incondicionalmente privada de qualquer agente farmacológico ativo, ou seja, não servem de forma alguma como medicamentos.

As mudanças estão previstas na Instrução Normativa (IN) nº 39, de 21 de novembro de 2014, publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (24). Ela substitui partes dos textos de duas INs, a nº 22, de dois de junho de 2009 e a nº 30, de cinco de agosto de 2009, que tratam respectivamente sobre a regulamentação de embalagens, rotulagens e propaganda dos produtos destinados à alimentação de animais e de critérios e procedimentos para o registro de produtos, para a rotulagem e a propaganda e para a isenção de registro de produtos destinados à alimentação de animais de companhia.

Também foram alterados incisos que mencionavam algumas vedações, sendo que a partir dessa nova publicação, o rótulo, a embalagem e a propaganda de produtos destinados à alimentação animal ou para a alimentação de animais domésticos, qualquer que seja a sua origem – embalados ou a granel – não devem utilizar terminologias, ilustrações ou outras representações gráficas que sugiram tratamento, prevenção ou cura, ação imunológica, ou relação com doenças, patologias, intoxicações, infecções e afecções, exceto nos casos fixados em normas específicas.

Outra mudança é que, agora, de acordo com a nova redação, para todos os produtos, no uso de terminologias e representações gráficas nos rótulos, embalagens e propagandas que remetam à composição do produto, deverá ser utilizada a expressão “Imagem meramente ilustrativa”, quando se tratar do uso de subproduto ou de adição de sabor por meio de aditivos aromatizantes ou palatabilizantes.

De acordo com o Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP), responsável pela revisão, a intenção da mudança é harmonizar algumas questões de rotulagem que limitavam as empresas de informar detalhes específicos dos produtos, além de eliminar interpretações que poderiam gerar dúvidas.

Fescher Neoilustração Produz Imagens para as Novas Embalagens de Refresco da Docile

Paulo Gomes Vieira

O estúdio Fescher Neoilustração foi encarregado de produzir, através da agência Braind, as ilustrações presentes nas novas embalagens do refresco em pó Tandy, da Docile. Unindo 2D e 3D, os diversos sabores foram cuidadosamente representados pela equipe para que funcionassem corretamente na embalagem e nas aplicações adicionais da linha.
Detalhes como transparência do líquido, gotas nas frutas e a humidade presente reforçam a ideia de refrescância. Os refrescos necessitaram de um cuidado extra para combinarem com as suas frutas, pois muitas vezes as cores do líquido são diferentes das do fruto de origem. Como trata-se de uma série, o trabalho acaba tornando-se bem rico pela soma das partes e conferindo uma estética diferenciada.

Ministério divulga novas regras sobre embalagens de sementes

Paulo Gomes Vieira

Agricultura também definiu critérios para rótulos e propagandas de produtos destinados à alimentação animal

A partir de agora, o lacre das embalagens de sementes deverá conter o número de inscrição do Registro Nacional de Sementes e Mudas (Renasem) do produtor ou do reembalador, quando o produto for destinado ao comerciante, informou o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta quarta-feira (26).

A medida foi oficializada por meio da  Instrução Normativa nº 40, publicada no Diário Oficial da União (DOU). Ainda segundo o texto, a semente a granel somente poderá ser comercializada diretamente do produtor ao usuário da semente.

Além disso, em relação à embalagem de sementes, são instituídas algumas regras, como, por exemplo, o uso de embalagem de tamanho diferenciado, confeccionada em polipropileno ou material de comprovada durabilidade.

Por fim, o texto delimita que o acondicionamento deve apresentar conteúdo mínimo de 250 quilogramas de peso líquido, sendo que neste caso deverá ter seu comércio restrito entre o produtor da semente e o consumidor final ou o reembalador.

Alimentação animal

Na segunda-feira (24), o Mapa publicou a Instrução Normativa nº 39 no Diário Oficial da União (DOU). O texto delimita as novas regras para embalagens, rotulagens e propaganda de produtos destinados à alimentação de animais de produção e de companhia.

De acordo com o Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP), responsável pela revisão, a intenção da mudança é harmonizar algumas questões de rotulagem que limitavam as empresas de informar detalhes específicos dos produtos, além de eliminar interpretações que poderiam gerar dúvidas.

A Instrução Normativa nº 39 substitui partes dos textos das instruções normativas nº 22 e nº 30. As publicações tratam sobre a regulamentação de embalagens, rotulagens e propaganda dos produtos destinados à alimentação de animais e de critérios e procedimentos para o registro de produtos, para a rotulagem e a propaganda e para a isenção de registro de produtos destinados à alimentação de animais de companhia.

A partir de agora, a definição dos alimentos coadjuvantes que deve constar nos produtos é a de que são compostos por ingredientes, matérias-primas ou aditivos destinados exclusivamente à alimentação de animais de companhia com distúrbios fisiológicos ou metabólicos.

Também deve ser especificado no rótulo que esses alimentos são capazes de atender integralmente as exigências nutricionais específicas, cuja formulação é incondicionalmente privada de qualquer agente farmacológico ativo, ou seja, não servem de forma alguma como medicamentos.

Além disso, foram alterados incisos que mencionavam algumas vedações, sendo que a partir dessa nova publicação, o rótulo, a embalagem e a propaganda de produtos destinados à alimentação animal não devem utilizar terminologias, ilustrações ou outras representações gráficas que sugiram tratamento, prevenção ou cura, ação imunológica, ou relação com doenças, patologias, intoxicações, infecções e afecções, exceto nos casos fixados em normas específicas.

Outra mudança é que, agora, de acordo com a nova redação, para todos os produtos, no uso de terminologias e representações gráficas nos rótulos, embalagens e propagandas que remetam à composição do produto, deverá ser utilizada a expressão “Imagem meramente ilustrativa”, quando se tratar do uso de subproduto ou de adição de sabor por meio de aditivos aromatizantes ou palatabilizantes.

Jägermeister estreia novo visual no Brasil

Paulo Gomes Vieira

Oficina Design UP! cria embalagem exclusiva no Brasil para tradicional destilado alemão.

Sucesso em mais de 90 países, a Jägermeister está de cara nova. O sétimo destilado Premium mais consumido no mundo passa agora a ter um cartucho desenvolvido especialmente para o mercado brasileiro. Todo trabalho de design, criação e fundamentação conceitual foi de responsabilidade da agência Oficina Design UP!, de São Paulo. O produto com a nova apresentação visual chega às principais redes de supermercados e distribuidores do país buscando atingir principalmente o público jovem de alto poder aquisitivo, das classes AB, com idade entre 18 e 35 anos, frequentador da noite brasileira.

O objetivo de todo o projeto esteve focado em ampliar a divulgação da Jägermeister no país e resgatar o conceito da bebida por meio de uma modernização em sua embalagem. Neste sentido, a Oficina Design UP! desenvolveu estratégias visuais para proporcionar mais visibilidade em displays e prateleiras. Uma delas foi projetar o cartucho – como é chamada tecnicamente a embalagem – em painel casado, em que duas unidades são dispostas lado a lado e formam uma imagem completa do produto.

Visualmente, a cor predominante da embalagem é o verde. Além disso, jargões como “Vire sua noite” e “Um shot sem igual” ganharam destaque em alusão à forma de consumo da bebida, sempre realizada em doses pequenas e únicas para cada copo, o shot. “Por tratar-se de uma bebida premium de alto desembolso, precisávamos agregar valor para fortalecer a imagem da marca no mercado brasileiro”, diz Malu Guerra, da Oficina Design UP!.

Por enquanto, a ação da Jägermeister atenderá apenas ao mercado brasileiro. A divulgação estará focada em displays de bares e supermercados, além de inserções em redes sociais.

Embalagem de Mu-Mu Kids recebe premiação nacional de Design

Paulo Gomes Vieira

A embalagem de Mu-Mu Kids foi um dos destaques do Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira 2014, na categoria Design Gráfico de Alimentos Doces.

Bem colorida e explorando a figura da vaquinha Mu-Mu, mascote da empresa, o layout agradou os jurados, principalmente pela modernidade e pela ludicidade. Além disso, o vínculo do produto com o seu público-alvo, através de um design irreverente, também mereceu a atenção. O projeto foi orientado pela equipe de marketing da Neugebauer e assinado pela agência Bendito Design.

O Mu-Mu Kids foi lançado no final de 2013 especialmente para crianças, com uma composição fonte de leite e adição de cereais, garantindo mais energia e saúde para os pequenos.

Braskem marca presença no 16º Congresso Brasileiro de Embalagem da ABRE

Paulo Gomes Vieira

Companhia aposta em inovação para conquistar o mercado
A Braskem, maior petroquímica das Américas e líder mundial em biopolímeros, é uma das patrocinadoras do 16º Congresso Brasileiro de Embalagem da ABRE – Associação Brasileira de Embalagem, importante evento do setor de embalagens e de bens de consumo no Brasil. O encontro acontece nos dias 7 e 8 de outubro, em São Paulo, no Centro Fecomercio de Eventos, e tem como tema central “A competitividade na cadeia produtiva de embalagens e bens de consumo”.

“Participar deste Congresso é essencial para o negócio da Braskem, pois reforça o nosso compromisso com inovação, pesquisa e desenvolvimento de materiais que atendam às demandas da indústria e do próprio consumidor. Além disso, temos um percentual de vendas muito elevado no que se refere a embalagens e esta oportunidade é uma forma de nos aproximarmos de outros elos da cadeia, mostrando a importância e vantagens do plástico” afirma Albertoni Bloisi Neto, da área de desenvolvimento de mercado da Braskem.

Para ressaltar como a inovação é algo essencial ao dia a dia na empresa, Fábio Lamon, gerente da ciência de produtos da Braskem, ministrará a palestra “Inovando para servir o cliente”. Além de uma breve introdução sobre a empresa e suas realizações, serão abordados os processos de atuação nas cadeias produtivas da indústria de embalagens, eletrodomésticos, construção civil, automobilística e bens de consumo, entre outros. Na ocasião, o engenheiro também demonstrará como a cultura organizacional da Braskem valoriza o trabalho em conjunto com os clientes, visando o fortalecimento de toda a cadeia do plástico.

Em 2013, 19% do volume comercializado de poliolefinas foi oriundo de novos produtos desenvolvidos nos últimos três anos. Com investimento anual médio de R$200 milhões em inovação, a Braskem aposta em resinas capazes de constitui produtos de alta qualidade, resistência e adaptados às necessidades do mercado. Um dos reconhecimentos deste trabalho foi a inclusão da companhia como a única empresa brasileira na lista das 50 mais inovadoras do mundo em 2014 da publicação americana Fast Company, na 41ª posição.

Atualmente, a companhia desenvolve aproximadamente 270 projetos de inovação em 24 laboratórios de controle de qualidade e em dois grandes centros de pesquisa, localizados no Polo Petroquímico de Triunfo (RS) e em Pittsburgh, nos Estados Unidos.

Sobre a Braskem:
A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas. Com 36 plantas industriais distribuídas pelo Brasil, Estados Unidos e Alemanha, a empresa produz anualmente mais de 16 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos. Com a inauguração de sua fábrica de polietileno derivado de etanol de cana-de-açúcar, com capacidade anual de 200 mil toneladas, tornou-se a maior produtora de biopolímeros do mundo.

França bane marcas e logos e ‘limpa’ embalagens de cigarros

Paulo Gomes Vieira

Os maços de cigarro na França passarão a ser “neutros”, sem marca nem logotipo e também terão o mesmo formato, tamanho, cor e tipografia das letras, anunciou nesta quinta-feira o Ministério da Saúde.

As fotos explícitas que ilustram os danos à saúde causados pelo consumo de cigarros e as mensagens de prevenção passarão a ocupar 65% da superfície dos maços vendidos na França, em vez dos 30% atualmente.

A França é o segundo país no mundo a adotar os maços “neutros” para lutar contra o tabagismo, após a Austrália, em 2012.

O objetivo do governo francês é tornar os maços de cigarros menos atraentes visualmente para lutar contra o tabagismo, principalmente entre os jovens.

Os fabricantes de cigarros ameaçam apresentar recursos ao Conselho de Estado (mais alta jurisdição administrativa da França) e também à Corte de Justiça Europeia e ao Conselho Constitucional, alegando que o Estado francês violou os direitos à propriedade intelectual.

Segundo o jornal Le Figaro, os fabricantes de cigarros vão pleitear indenizações de 20 bilhões de euros (cerca de R$ 60 bilhões) em razão da expropriação do direito de utilização de suas marcas em seus produtos na França.

A Inglaterra e a Irlanda também anunciaram projetos de adotar o maço “neutro” no futuro.

A decisão do governo francês faz parte de um programa nacional de redução do tabagismo, apresentado nesta quinta-feira pela ministra da saúde, Marisol Touraine.

Segundo Touraine, o tabagismo é responsável pela morte de 73 mil pessoas por ano na França, o equivalente a 200 pessoas por dia, mais do que o número de vítimas de acidentes nas estradas, ressalta a ministra da saúde.

“A França possui mais de 13 milhões de fumantes adultos e a situação está se agravando. Desde 2005, o número de fumantes voltou a subir, como já ocorre em outros países europeus”, declarou Touraine, ressaltando que o aumento afeta principalmente as mulheres, jovens e pessoas em situação precária.

O governo francês também proibiu o consumo de cigarros em carros particulares com passageiros menores de 12 anos e em parquinhos ao ar livre para crianças.

Além de limitar a exposição ao tabagismo, essas medidas visam tornar o consumo de cigarros algo menos banal no cotidiano de crianças e jovens.

Cigarro eletrônico

A França proibiu ainda utilização do cigarro eletrônico em locais públicos frequentados por menores de idade, como escolas ou áreas de lazer, e também ambientes de trabalho e transportes coletivos.

Esta medida está sendo fortemente criticada pelos usuários desse tipo de produto, estimado entre 1 e 2 milhões de pessoas na França, segundo autoridades da saúde.

A ministra ressalta que o cigarro eletrônico é menos nocivo do que o normal e que faz parte das iniciativas para parar de fumar. “Mas, para um jovem que nunca fumou, o cigarro eletrônico pode ser uma porta de entrada para o tabagismo”, afirma Touraine.

Para Brice Lepoutre, presidente da associação dos usuários de cigarros eletrônicos (Aiduce, na sigla em francês), essa medida do governo “é muito perigosa”.

Ele afirma que a proibição pode levar os fumantes de cigarros eletrônicos a voltarem a fumar cigarros normais.

“Se os usuários devem sair do trabalho para fumar na rua com os outros fumantes, eles poderão ceder à tentação de consumir cigarros tradicionais”, afirma.

Segundo ele, as taxas de tabagismo já estariam aumentando em Nova York, onde o cigarro eletrônico foi proibido nos mesmos locais do cigarro tradicional.

A associação Aiduce pretende contestar na Justiça essa proibição, diz Lepoutre.

O plano de luta contra o tabagismo do governo francês visa reduzir em 10% o número de fumantes no país no prazo de 5 anos e em 20% nos próximos dez anos.

Cigarros (Foto: AFP)

Barilla: Dassault para design de embalagens

Paulo Gomes Vieira

A Dassault Systèmes, multinacional francesa de soluções em CAD e PLM, teve a sua solução Perfect Package, de design de embalagens, adotada pelaBarilla, marca italiana referência no mercado de massas.

A nova solução servirá para a empresa italiana aprimorar o processo de criação de rótulos de embalagens para todo o mundo, diminuindo o tempo de design e aprovação das ilustrações.

Além de acelerar processos, a adoção da plataforma da Dassault serviu para oferecer um acesso digital seguro a todos os elementos da embalagem, incluindo cópia, logotipos e projetos.

A plataforma adotada pela Barilla faz parte da solução 3DExperience, lançada pela Dassault em 2012, com foco em design em outras áreas da operação industrial, como embalagens e marketing.

A operação da Barilla engloba cerca de 1,5 mil diferentes marcas em centenas de países. Segundo a empresa, o processo envolve vários departamentos internos e agências de arte externas para garantir que cada uma das milhares de embalagens vendidas pela Barilla tenha a cópia, a aparência e especificações corretas.

“Temos um prazo de cinco a oito segundos para vender nosso produto. Esse é o tempo médio que os compradores levam para encontrar e escolher o produto correto para suas famílias”, diz Monica Menghini, Vice-Presidente Executiva de Estratégia Corporativa, Indústria & Marketing da Dassault Systèmes.

Segundo Marco Rossi, com a nova solução, os acionistas se tornaram mais colaborativos, desde a geração da ideia até a validação da embalagem Barilla final, usando uma representação digital do mesmo rótulo mestre.

“Não há mais trabalho com amostras desatualizadas e decisões que precisam ser canceladas, o que aumentava nossos custos e reduzia nosso tempo de resposta. Com essa nova solução, podemos trocar ideias digitalmente de forma mais rápida, mais intuitiva e quase sem nenhum recall de embalagens”, afirma Rossi.

Epocler lança novas embalagens

Paulo Gomes Vieira

Epocler, líder em medicamentos para o fígado e indicado no tratamento de distúrbios metabólicos hepáticos, apresenta novidades ao mercado farmacêutico. Suas embalagens foram repaginadas e contam com nova identidade visual, inspirada nas tradicionais cores do produto. Além disso, agora o consumidor poderá encontrar uma nova apresentação nas farmácias: caixas com seis flaconetes, que proporcionam mais praticidade na hora da compra.

Para facilitar as vendas unitárias, o medicamento também renova sua apresentação com 60 flaconetes. A embalagem agora, se transforma em display e gera maior visibilidade e exposição no ponto de venda.

As novas embalagens de Epocler já podem ser encontradas em todas as farmácias do Brasil. Além da versão com seis unidades, a caixa com 12 unidades permanece no portfólio, sendo a melhor opção para uso de toda a familia. Para conferir as novidades de Epocler, acesse: www.facebook.com/epocler.

Heineken vende fábrica de embalagens mexicana por US$ 1,2 bi

Paulo Gomes Vieira

São Paulo – A Heineken anunciou, nesta segunda-feira, a venda da Empaque, operação de embalagens mexicana da companhia, para a Crown Holdings. O negócio foi fechado por 1,2 bilhão de dólares.

Segundo comunicado da cervejaria holandesa, com a operação, a companhia planeja ampliar os investimentosno mercado norte-americano.

Ainda de acordo com a Heineken, os ganhos reais da operação são de quase 400 milhões de dólares.  

“A alienação das operações de embalagem vai permitir que os recursos sejam  integralmente destinados para a fabricação de cerveja, marketing e venda “, afirmou a empresa, em nota.

A Heineken comprou a Empaque em 2010, como parte daaquisição da Femsa Cerveza no país mexicano.

A Empaque gerou receitas de cerca de 660 milhões de dólares para Heineken em 2013. A companhia, mesmo tendo uma nova dona, vai  permanecer fornecedora de embalagens para a Heineken.

Latinhas da cerveja Heineken

http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/heineken-vende-fabrica-de-embalagens-mexicana-por-us-1-2-bi